Dois em cada dez brasileiros têm crédito negado, aponta SPC Brasil

Levantamento indica que “nome sujo” é a principal razão da negativa e CDL Petrópolis acredita que o Cadastro Positivo pode expandir acesso ao crédito, em razão de uma avaliação de risco mais individualizada.  

A Câmara de Dirigentes Lojistas de Petrópolis acaba de divulgar um levantamento da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) revelando que, no último mês de novembro, 21% dos brasileiros que tentaram fazer uma compra a prazo tiveram o pedido negado pelo credor. As principais razões da negativa foram o fato de o consumidor estar com nome inscrito em cadastros de devedores (31%) e a falta de comprovação de renda para realizar a compra (17%). Há ainda 15% que não conseguiram parcelar por renda insuficiente e outros 15% que já haviam excedido o seu limite de crédito com outras aquisições. Já 19% não souberam a razão do pedido não ter sido atendido.

Para o presidente da CDL Petrópolis Luiz Felipe Caetano da Silva e Souza, esse levantamento mostra a importância da consulta ao SPC Brasil para que o lojista venda com segurança, mas também revela que é preciso modernizar as formas de análise cadastral para ampliar a oferta de crédito.

– O comércio precisa vender com segurança. Isso é fato, especialmente porque a inadimplência continua alta, mas é preciso também oferecer mais crédito e nós acreditamos que o Cadastro Positivo pode mudar essa realidade dando importância ao histórico de pagamentos como um todo e não apenas à inadimplência, como vínhamos fazendo até então. O cadastro positivo pode ajudar o empresário a fazer uma análise mais adequada do perfil de risco dos clientes visualizando, por exemplo, não somente as contas não pagas, mas também as que ele paga em dia, e isso pode ser positivo para a oferta de crédito – afirma Luiz Felipe.

De forma geral, a maioria (57%) dos brasileiros não utilizou nenhuma modalidade de crédito no mês de novembro, como empréstimos, linhas de financiamento, crediários ou cartões de crédito. Outros 43% mencionaram ter recorrido, ao menos a uma modalidade no período, número inferior aos 50% observados no mês anterior.

O cartão de crédito (37%) e o crediário (11%) foram as modalidades mais usadas. Já o cheque especial foi citado por 7% da amostra. Há ainda 6% de consumidores que contrataram empréstimos e 4% entraram em financiamentos.

O levantamento mostra ainda que as despesas correntes do dia a dia foram as mais realizadas via cartão de crédito, como as compras de supermercado (65%) e a aquisição de remédios (42%). Em terceiro lugar aparecem a compra de combustíveis (40%), seguida da aquisição de roupas e calçados (37%).

Um dado preocupante é que quase um quarto (23%) dos usuários de cartão de crédito não conseguiu pagar integralmente a fatura no último mês de novembro e entrou no chamado ‘rotativo’, que cobra os juros mais caros do mercado. Os que honraram os compromissos em dia somam 75% da amostra. Em média, o valor da fatura do cartão de crédito ficou em R$ 855,79, sendo que a maior parte (46%) dos entrevistados disse que manteve um valor de gasto parecido ao do mês anterior. Já 33% viram o tamanho da fatura aumentar em novembro, enquanto 15% diminuíram os gastos via cartão.

O Indicador abrange 12 capitais das cinco regiões brasileiras: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Recife, Salvador, Fortaleza, Brasília, Goiânia, Manaus e Belém. Juntas, essas cidades somam aproximadamente 80% da população residente nas capitais. A amostra, de 800 casos, foi composta por pessoas com idade superior ou igual a 18 anos, de ambos os sexos e de todas as classes sociais. A margem de erro é de 3,5 pontos percentuais.

Apenas um em cada dez brasileiros consegue pagar despesas de início do ano com recursos próprios, aponta pesquisa CNDL/SPC Brasil.

Minoria dos brasileiros consegue quitar despesas sazonais sem ter que parcelar ou economizar ao longo do ano e outros 22% não fazem planejamento

A Câmara de Dirigentes Lojistas de Petrópolis acaba de divulgar um levantamento realizado pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) mostrando que apenas 11% dos consumidores brasileiros têm condições de pagar as despesas sazonais deste período, como IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano), IPVA (Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores) e material escolar, com os próprios rendimentos, sem que seja necessário fazer uma economia ou reserva financeira ao longo do ano. A pesquisa ainda mostra que 22% dos entrevistados não fizeram qualquer planejamento para pagar esses compromissos em 2020.

Para o presidente da CDL Petrópolis, Luiz Felipe Caetano da Silva e Souza essa pesquisa revela a importância do planejamento financeiro.

– Essas despesas de início de ano não são uma surpresa para ninguém. Então é fundamental, dentro das possibilidades de cada pessoa, procurar se planejar para elas, seja economizando ao longo do ano, seja parcelando essas despesas de forma que não comprometam o seu orçamento ou até mesmo reduzindo o consumo, se for possível, tudo para evitar o endividamento e a inadimplência e preservar o crédito – afirma Luiz Felipe.

De acordo com o levantamento, para este novo ano, a maior parte (26%) dos entrevistados teve de economizar nas festas e com as compras de Natal para conseguir pagar as despesas de início de ano. Outros 21% guardaram ao menos parte do 13º salário para honrar os compromissos, ao passo que 17% disseram ter montado uma reserva ao longo de 2019 para cobrir os gastos no futuro. Outra descoberta é 14% passaram a fazer algum bico para acumular uma renda extra.

De acordo com um levantamento do SPC Brasil, na média, o brasileiro que parcelou suas compras natalinas vai terminar de pagar essas prestações somente no mês de abril, o que sinaliza um orçamento comprometido para além do primeiro trimestre do ano.

Os especialistas do SPC Brasil explicam que para se livrar de compromissos como IPTU e IPVA o mais cedo possível, o recomendado é sempre pagá-los à vista, geralmente, com alguma reserva montada especificamente para esse tipo de gasto. No entanto, se o consumidor for mais organizado e quiser avaliar se o desconto no pagamento único é vantajoso em vez do parcelamento, ele deve fazer um cálculo mais criterioso.

O primeiro passo é avaliar se o desconto oferecido é maior do que o valor que esse dinheiro renderia caso estivesse em alguma aplicação financeira, como a poupança, por exemplo, que rende 0,3% ao mês e é isenta de taxas. No caso do IPTU, considerando um parcelamento em 10 meses, o pagamento à vista será vantajoso se o desconto for superior a 1,5%. No caso do IPVA, supondo um parcelamento em 3 vezes, para o pagamento ser realmente vantajoso, basta que o desconto supere os 0,5%.

Foram entrevistadas 813 pessoas de ambos os sexos e acima de 18 anos, de todas as classes sociais, em todas as regiões brasileiras. A margem de erro é de 3,4 pontos percentuais para um intervalo de confiança a 95%.

Mais de 13 milhões devem deixar as compras de Natal pra última hora

Pesquisa da CNDL e SPC Brasil aponta que os consumidores atrasados esperam pelo pagamento da segunda parcela do 13º e acreditam em promoções de última hora

A Câmara de Dirigentes Lojsitas de Petrópolis acaba de divulgar uma pesquisa mostrando que o velho hábito do brasileiro de deixar tudo para a última hora deverá se manter no natal de 2019. Segundo o levantamento da Confederação Nacional das CDLs (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) aproximadamente 13,2 milhões de brasileiros devem comprar os presentes em cima da hora, ou seja, nestes dias que antecedem a data. O dado corresponde a 10% dos consumidores que têm a intenção de presentear alguém no Natal, número próximo aos 8% do ano passado.

Para o presidente da CDL Petrópolis, Luiz Felipe Caetano da Silva e Souza, esse hábito pode ser prejudicial ao consumidor que terá que enfrentar lojas cheias e até mesmo uma restrição na oferta de produtos.

– O ideal seria se planejar e comprar com antecedência. Mas a pesquisa revela um dado incontestável. Muitos consumidores precisam esperar a liberação da segunda parcela do 13º salário, que acontece neste dia 20 de dezembro e aí, o jeito é comprar em cima da hora com o risco de enfrentar o desconforto das lojas e ruas lotadas e também a possibilidade de não encontrar mais o presente que imaginava comprar. De qualquer forma, o comércio estará pronto para atender a todos, mesmo os que deixarão para a última hora – afirma Luiz Felipe.

De acordo com a pesquisa, a expectativa por promoções (48%), que ajudam a economizar no orçamento, é a principal justificativa dos entrevistados para postergar as compras. Outros 20% estão à espera do pagamento da segunda parcela do 13º salário, enquanto 12% alegam falta de tempo para ir atrás dos presentes da lista. Há ainda 11% de entrevistados que admitem falta de organização e 10% que culpam a preguiça de fazer compras, empurrando a tarefa para o limite da data comemorativa.

A pesquisa ainda mostra que 3% dos entrevistados vão adiar as compras natalinas para janeiro de 2020, na esperança de aproveitar as tradicionais liquidações de início de ano. A maior parte dos consumidores se organizou para garantir os presentes ao longo do mês de novembro (30%) ou na primeira quinzena de dezembro (41%).

Inicialmente foram ouvidas 686 pessoas nas 27 capitais para identificar o percentual de quem pretendia ir às compras no natal e, depois, a partir de 600 entrevistas, investigou-se em detalhes o comportamento de consumo nesta data. A margem de erro é de 3,7 e 4,0 p.p, respectivamente, para um intervalo de confiança de 95%.

Procon lança Selo de Excelência na CDL Petrópolis

Empresas da cidade que se destacarem no respeito ao Código de Defesa do Consumidor serão agraciadas todo ano no dia 15 de março

 

Dando prosseguimento à parceria entre a Câmara de Dirigentes Lojistas de Petrópolis e o Procon, foi lançado na manhã da última sexta-feira, dia 25 de outubro, no auditório da CDL, o Selo de Excelência do Procon Petrópolis, instituído através da Lei 7775/19, de autoria do vereador Jamil Sabrá Neto. A mesa solene do evento foi composta pelo presidente da CDL Petrópolis, Luiz Felipe Caetano da Silva e Souza; pelo coordenador do Procon Petrópolis, Bernardo Sabrá; pelo vereador Jamil Sabrá Neto e pelo presidente da Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara, vereador Jorge Relojão.

        Para ter direito a receber o selo, as empresas da cidade que se inscreverem até o dia 19 de dezembro terão que se destacar em alguns itens como a resolução das reclamações junto ao Procon, o número dessas reclamações, questões relativas à fiscalização do órgão nessas empresas, além do respeito à acessibilidade e ações sociais desenvolvidas.

Para o presidente da CDL Petrópolis, Luiz Felipe Caetano da Silva e Souza, o selo será um marco para o comércio da cidade e um excelente instrumento de propaganda dos estabelecimentos que forem agraciados, além de mais uma oportunidade para que se desenvolva a boa relação entre lojistas e consumidores.

O coordenador do Procon Petrópolis, Bernardo Sabrá agradeceu à parceria com a CDL lembrando que o selo representa o reconhecimento às empresas que respeitem o consumidor. O autor da lei, vereador Jamil Sabrá Neto, explicou que após ser avaliada por uma comissão julgadora a empresa receberá o selo numa sessão solene da Câmara Municipal no dia 15 de março de cada ano, quando se comemora o Dia do Consumidor.

O selo terá validade de um ano, podendo ser renovado, e a empresa poderá usá-lo em seu material promocional, estampa-lo na vitrine, site e redes sociais ou ainda no uniforme de seus funcionários.

Participaram do evento ainda o vereador Marcelo da Silveira, a presidenta da Comissão de Defesa da OAB, Denise Nunes; a vice-presidente do Petrópolis Convention Bureau, Célia D`Azevedo, os diretores da CDL Petrópolis José Coelho de Queiroz, Cid Vieira da Silva, Sérgio Luiz Maiworm e Vinicius Barros de Souza, além de empresários da cidade.

Procon faz palestra para supermercados na CDL

Evento faz parte da parceria entre as duas instituições e será estendido a outros segmentos do comércio varejista

 

         Na última terça-feira, 22 de outubro, no auditório da Câmara de Dirigentes Lojistas de Petrópolis, o Procon de Petrópolis reuniu representantes do setor de mercados e supermercados da cidade para uma palestra de orientação a respeito das questões relativas ao Código de Defesa do Consumidor. Esta é a primeira de uma série de palestras que o Procon e a CDL Petrópolis pretendem realizar nos próximos meses.

         Para o presidente da CDL Petrópolis, Luiz Felipe Caetano da Silva e Souza, essa parceira é muito importante para os empresários que podem se informar sobre o Código de Defesa do Consumidor e também entender a forma de atuação da fiscalização o que, certamente, resultará numa relação mais harmoniosa entre lojistas e consumidores e entre empresários e a fiscalização.

Na abertura do evento, o coordenador do Procon Petrópolis, Bernardo Sabrá, lembrou que o objetivo dessa palestra, e das demais que virão é orientar e esclarecer dúvidas, tudo para equilibrar as relações de consumo, razão de ser do próprio Código de Defesa do Consumidor.

A palestra foi proferida pela fiscal do Procon Fernanda Montenegro Tesch e pelo assessor jurídico Thiago Ramos, contando com a presença de representantes de empresas do segmento de mercados e supermercados de grande, médio e pequeno portes da cidade.

35% dos inadimplentes buscam acordo para quitar as dívidas

Pesquisa divulgada pela CDL Petrópolis ratifica que iniciativas como a do
Feirão Limpa Nome são de grande valia para os consumidores

 

Uma pesquisa feita em todas as capitais pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) revela que entre os consumidores inadimplentes que pretendem regularizar sua situação pelos próximos três meses, 35% querem tentar um acordo com o credor para parcelar o valor do débito. No total, 55% dos consumidores com contas atrasadas acreditam que terão condições de regularizar as dívidas, sendo que 35% pretendem pagar integralmente e 16% parcialmente. Por outro lado, 45% dos inadimplentes não se veem em condições financeiras de quitar suas dívidas nos próximos três meses.

Para o presidente da CDL Petrópolis, Luiz Felipe Caetano da Silva e Souza, se por um lado a pesquisa aponta números preocupantes como o fato de 45% dos devedores não terem condições de pagar suas dívidas em médio prazo, por outro, aponta que a negociação é a melhor estratégia.

– Nós da CDL Petrópolis apoiamos o Feirão Limpa Nome do Procon porque acreditamos que é fundamental negociar e a grande procura dos consumidores mostra que as pessoas querem regularizar sua situação e recuperar o poder de compra através de acordo. Por isso, minha empresa está lá, presente, assim como as de outros diretores e associados da CDL, além do apoio da entidade fornecendo na hora e de forma gratuita as informações verbais sobre a situação do consumidor junto ao SPC Brasil – afirma Luiz Felipe.

A pesquisa revela que fazer cortes no orçamento é a segunda alternativa mais citada pelos inadimplentes que planejam regularizar suas dívidas (28%), inclusive com um aumento de nove pontos percentuais na comparação com o ano passado.

A terceira estratégia mais citada é recorrer a um bico ou trabalho extra (24%), seguida daqueles que esperam contar com o pagamento de empréstimos feitos a terceiros (12%). Outras opções que cresceram em um ano são vender um bem (9%) e substituir a dívida por um empréstimo que cobra juros mais baixos (4%).

Na avaliação dos entrevistados, os principais empecilhos para quitar as dívidas em atraso e colocar a vida financeira em ordem são: não saber de onde tirar dinheiro para pagar as dívidas (28%), o fato de estarem desempregados (23%) e a queda na renda (20%).

A pesquisa ainda revela que a escala de prioridades do consumidor é encabeçada pelas despesas consideradas mais importantes para a vida diária. Os compromissos financeiros que os inadimplentes mais pagam em dia são o aluguel (84%), plano de saúde (82%) e condomínio (78%). Outras contas que os inadimplentes têm procurado manter quitadas na maior parte das vezes são as com TV por assinatura e internet (73%) e também contas de água e luz (72%).

Os empréstimos em bancos ou financeiras (69%), os crediários em lojas (68%) e as faturas atrasadas de cartão de crédito (67%) despontam como os tipos de contas que mais deixaram os inadimplentes com o ‘nome sujo’. Há ainda 52% de pessoas que ficaram nessa situação após entrarem no cheque-especial ou por atrasarem o pagamento do financiamento de automóvel.

A análise socioeconômica da pesquisa revela que a concentração de inadimplentes no Brasil é expressivamente maior entre os brasileiros das classes C, D e E (94%), sendo que em média, cada inadimplente recebe R$ 2.335,32 por mês. Além disso, oito em cada dez (79%) brasileiros com contas em atraso ganham no máximo três salários mínimos.

No geral, 58% dos inadimplentes no Brasil são mulheres, ao passo que 42% homens. A idade média é de 38 anos e tendo em sua maioria, mais de três pessoas morando na mesma casa, predominantemente na região Sudeste (46%) e Nordeste (24%). Outra constatação é que 80% dos inadimplentes têm no máximo o ensino médio completo e outros 20% concluíram ou estão cursando o ensino superior.

A pesquisa ouviu 600 consumidores com contas em atraso há mais de três meses acima de 18 anos, de ambos os gêneros, de todas as classes sociais e que residem nas 27 capitais do país. A margem de erro é de no máximo 3,4 pontos a um intervalo de confiança de 95%.

Pesquisa aponta que 37% dos inadimplentes devem até R$ 500

CDL Petrópolis divulga indicador CNDL/SPC Brasil e acredita que o Feirão Limpa Nome pode ajudar esses consumidores a regularizarem sua situação na cidade

 

A Câmara de Dirigentes Lojistas de Petrópolis informa que os dados apurados pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) mostram que um percentual relevante de pessoas que estão com contas em atraso deve quantias que não chegam a quatro dígitos. Em cada dez consumidores que começaram o mês de agosto com o CPF inscrito na lista de inadimplentes, quatro (37%) devem até R$ 500 e a maioria dos inadimplentes brasileiros (53%) possui dívidas que somadas não ultrapassam R$ 1.000. Outros 20% devem algum valor entre R$ 1.000 e R$ 2.500, ao passo que 16% devem entre R$ 2.500 e R$ 7.500. Já as dívidas acima de R$ 7.500 são objeto de preocupação de 10% das pessoas que estão negativadas no Brasil. De acordo com o levantamento, cada consumidor inadimplente tem, no geral, duas dívidas em aberto.

Segundo o presidente da CDL Petrópolis, Luiz Felipe Caetano da Silva e Souza, esses dados são muito significativos e podem ajudar, especialmente em Petrópolis, por conta do Feirão Limpa Nome que o Procon local promove de 26 a 30 de agosto, os consumidores a recuperarem seu crédito.

– Essa pesquisa mostra ao mesmo tempo um dado triste, reflexo da nossa crise econômica, já que a maioria das pessoas não está conseguindo pagar dividas de valores menores, mas também aponta para uma esperança já que aqui na cidade teremos esse feirão limpa nome, dessa vez com a participação da CDL Petrópolis, e as condições de negociação podem ser decisivas para que esses consumidores possam regularizar sua situação e recuperar poder de compra, o que é bom para todos – explica Luiz Felipe.

As dívidas relativamente baixas podem ter relação com o tipo de conta que o brasileiro tem deixado atrasar. De acordo com o indicador, considerando somente as contas de serviços básicos como água e luz, houve um crescimento de 16,03% no volume de atrasos em julho na comparação com o mesmo mês do ano passado. Em segundo lugar aparecem as dívidas bancárias, como cartão de crédito, cheque especial, empréstimos e financiamentos, que avançaram 2,25% na mesma base de comparação.

Embora os atrasos com serviços básicos para o funcionamento da casa tenham crescido mais no mês de julho, a maior parte (53%) das dívidas em aberto no Brasil tem alguma instituição financeira como credor. Já o comércio responde por uma fatia de 17% do total de dívidas, enquanto o setor de comunicação por 11% e as contas de água e luz completam o ranking com 10%.

De modo geral, o volume de consumidores com contas em atraso e registrados em lista de inadimplentes continua crescendo: avanço de 1,73% na comparação com o mesmo mês do ano passado. Ainda assim, houve uma desaceleração, pois em julho de 2018, a alta havia sido de 4,31%. O dado observado em julho é o segundo menor desde 2011, início da série histórica.

Mesmo crescendo a patamares mais modestos, o estoque de brasileiros com o ‘nome sujo’ ainda é elevado no país: estimativa de abril deste ano mostra que aproximadamente 40% da população adulta está inscrita em lista de inadimplentes, enfrentando problemas para comprar a crédito, obter empréstimos, financiamentos ou obter aprovação de cartão de crédito, por exemplo.

O indicador de inadimplência do consumidor sumariza todas as informações disponíveis nas bases de dados às quais o SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e a CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) têm acesso. As informações disponíveis referem-se a capitais e interior das 27 unidades da federação.

Aos 58 anos CDL Petrópolis oferece muito mais do que o SPC

Entidade ligada aos empresários tem associados de vários ramos de negócios e oferece serviços que auxiliam na gestão dos negócios.

Fundada em 04 de agosto de 1961, a Câmara de Dirigentes Lojistas de Petrópolis nasceu por causa da necessidade da troca de informações de crédito entre empresários do comércio para dar mais segurança na hora de vender a prazo. Surgia então o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) e seu banco de dados sobre os consumidores brasileiros, que se tornou amplo e completo.
Hoje, 58 anos depois, o próprio SPC mudou com a inclusão do Cadastro Positivo e a entidade oferece aos seus associados uma gama de produtos e serviços para auxiliar na gestão das empresas e no relacionamento com os clientes, fornece Certificados Digitais, além de ter se firmado como uma das mais representativas entidades da sociedade civil organizada da cidade.
O presidente da CDL Petrópolis, Luiz Felipe Caetano da Silva e Souza, lembra a importância da parceria com o empresariado e destaca os esforços para que a entidade se mantenha atuante e moderna.
– Estamos a mais de meio século ao lado dos empresários dessa cidade, merecendo a confiança do setor produtivo e da população como um todo. Isso é muito gratificante, porque a CDL é uma referência na cidade e essa reputação vem sendo construída dia a dia no nosso relacionamento com empresários e com a comunidade petropolitana. Eu gostaria de agradecer o empenho dos diretores e conselheiros que, de forma voluntária, me ajudam a gerir a CDL, aos nossos funcionários e funcionárias sempre dedicados e aos associados que reconhecem os esforços para nos mantermos modernos e atuantes nesses 58 anos de história – afirma Luiz Felipe.
O presidente da CDL Petrópolis lembra ainda que, muito além da qualidade das informações de crédito do SPC Brasil e da Serasa, a entidade realiza esforços constantes para firmar parcerias como a que permite ao associado efetuar protesto de títulos sem o pagamento das custas iniciais, os convênios com faculdades e universidades locais que oferecem descontos reais e significativos para o empresário, seus familiares e colaboradores em diversos cursos, planos de saúde Unimed e atendimento exclusivo para a emissão de Certificados Digitais, entre outros convênios através do seu Cartão Benefícios.
A CDL Petrópolis é uma entidade sem fins lucrativos criada, mantida e dirigida por empresários de Petrópolis que tem o objetivo de apoiar seus associados, mas que atua também em prol da cidade colaborando para estimular o desenvolvimento econômico e social do município.

CDL Petrópolis vê com otimismo MP que garante liberdade para horário de funcionamento do comércio

Medida provisória assinada no último dia 30 retira as restrições à abertura dos estabelecimentos comerciais e outras atividades econômicas

  

O presidente da CDL Petrópolis, Luiz Felipe Caetano da Silva e Souza vê com bons olhos a edição da Medida Provisória 881/2019  chamada de MP da Liberdade Econômica que, entre outras determinações, permite o funcionamento do comércio e de outras atividades econômicas em qualquer dia ou horário da semana, limitando-se apenas às normas referentes ao sossego público e a possíveis restrições estabelecidas por condomínios. Para o presidente da CDL Petrópolis, a MP é especialmente benéfica para o comércio da cidade.

– O turismo é a principal vocação do município e o comércio sempre lutou para ter o direito de funcionar livremente aos domingos e feriados quando a cidade recebe, naturalmente, um número maior de visitantes. É verdade que os sindicatos têm firmado acordos ao longo dos anos para flexibilizar o horário, mas agora surge essa regra geral e ampla que nos beneficia automaticamente. Como a MP deixa claro que a legislação trabalhista precisa ser observada, acredito que não haverá abusos e que nesses tempos de crise econômica o comercio poderá encontrar um alento – afirma Luiz Felipe.

O objetivo da Medida Provisória, segundo o governo federal, é liberar as atividades econômicas de regras restritivas para que seja garantido o livre exercício da atividade econômica propiciando assim condições favoráveis à geração de emprego e renda e à garantia do livre mercado.

A MP entra em vigor imediatamente, mas deverá ser submetida à aprovação da Câmara e do Senado. Segundo o Governo Federal, enquanto a MP estiver em vigor, toda legislação federal, estadual ou municipal, assim como os acordos e convenções trabalhistas  que estiverem contrárias ao que determina o texto da Medida Provisória estão revogados.

CDL Petrópolis pode fornecer certidões de cartórios de todo o estado

Convênio firmado com a Anoreg permite solicitar documentos de cartórios de Petrópolis e outras cidades no balcão da entidade

 

O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Petrópolis, Luiz Felipe Caetano da Silva e Souza, e o presidente da Associação dos Notários e Registradores do Rio de Janeiro (Anoreg – RJ), Dr. Renaldo Andrade Bussière assinaram  um convênio que permite à CDL Petrópolis oferecer aos associados da entidade e ao público em geral o acesso à plataforma oficial de notários e registradores para requerer centenas de certidões sem a necessidade de comparecer aos cartórios. O serviço abrange todo o estado do Rio de Janeiro.

Na foto, à esquerda, Renaldo Bussière, presidente da Anoreg RJ ao lado de Luiz Felipe Caetano da Silva e Souza, presidente da CDL Petrópolis.

Estarão disponíveis certidões para pessoas físicas e jurídicas dos cartórios de protesto, títulos e documentos, registro de imóveis e tabelionato de notas. Poderão ser solicitadas certidões negativas de protesto, de interdição e tutelas, de ônus reais do registro de imóveis, entre centenas de outros documentos. Os interessados farão o pedido no balcão da CDL, que encaminhará a requisição a qualquer cartório do estado do Rio de Janeiro, este enviará a certidão por e-mail para a CDL Petrópolis que poderá imprimir ou envia-la também por e-mail à pessoa que fez o pedido. Em alguns casos, como nas certidões de protesto de Petrópolis, é possível conseguir o documento imediatamente, na mesma hora do pedido. Está previsto o pagamento de uma pequena taxa pelo serviço e os associados da CDL Petrópolis pagarão um valor diferenciado.

O presidente da CDL Petrópolis, Luiz Felipe Caetano da Silva e Souza destacou a praticidade do serviço.

– Mais uma vez a CDL Petrópolis presta um serviço relevante à comunidade. Aliás, somos a primeira CDL do país, a firmar uma parceria como essa. Graças a esse convênio com a Anoreg estamos usando as comodidades da tecnologia para proporcionar uma economia de tempo e dinheiro à população que não precisará mais se deslocar a outros municípios do estado para requerer esse tipo de documento evitando assim gastos com transporte, sem falar no tempo que se perde – explicou Luiz Felipe.

Já o presidente da Anoreg RJ, Renaldo Bussière, lembrou a confiabilidade do serviço.

– Trata-se de um sistema homologado e autorizado pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro que interliga todos os cartórios do estado aptos a fornecer certidões virtuais com todos os itens de segurança exigidos para as certidões físicas. Isso não apenas mostra a confiabilidade do serviço como permite uma grande facilidade para as pessoas que, eventualmente, precisariam se deslocar a outros municípios ou mesmo para os distritos de Petrópolis – declarou Renaldo.

Participaram ainda da assinatura do convênio o assessor da Central de Protestos do Rio de Janeiro, Carlos Eduardo Gabizo Leite Penteado e o substituto do 2º Ofício de Protestos de Petrópolis, Jorge Rossi.

Para maiores informações, basta ligar para a CDL Petrópolis pelo telefone (24) 2244-1900.