Mais de 60 milhões de brasileiros negativados no SPC Brasil

Levantamento aponta  que  o maior número de inadimplentes concentra-se na Região Sudeste e atinge as pessoas entre 30 e 39 anos de idade.

A Câmara de Dirigentes Lojistas de Petrópolis acaba de divulgar os dados do Indicador de Inadimplência do Consumidor do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL) que aponta um número preocupante.  61,7 milhões de brasileiros estão com alguma conta em atraso e com o CPF restrito para contratar crédito ou fazer compras parceladas.  O número representa 40,5% da população com idade entre 18 e 95 anos.

Em fevereiro, houve um acréscimo de 2,71% na quantidade de inadimplentes, na comparação com o mesmo mês do ano passado e entre janeiro e fevereiro de 2018, o indicador apresentou aumento de 0,55%. Para o presidente da CDL Petrópolis, Luiz Felipe Caetano da Silva e Souza, esse dado demonstra que a crise econômica persiste no país, impactando os consumidores.

– A inadimplência muitas vezes está ligada a um descontrole com as finanças daquelas pessoas que têm dificuldades para planejar o orçamento, mas não se pode ignorar que num quadro onde o nível de desemprego continua alto muitos consumidores simplesmente não conseguem honrar seus compromissos. Com isso, ficam fora do mercado o que impacta o varejo, sem contar o prejuízo que a falta de pagamento das contas traz para os comerciantes. Outro dado importante é que o lojista precisa se precaver na hora de vender a prazo, por isso deve consultar os serviços de informações do SPC Brasil que a CDL Petrópolis oferece. Afinal ali constam mais de 61 milhões de brasileiros que, infelizmente, estão sem crédito no momento – afirma Luiz Felipe.

A estimativa por faixa etária revela que é entre os 30 e 39 anos que se observa a maior frequência de negativados. Em fevereiro de 2018, pouco mais da metade da população nesta faixa etária (51%) tinha o nome registrado em cadastros de devedores.

Também merece destaque o fato de porcentagem significativa da população com idade entre 40 e 49 anos (49%) estar negativada, da mesma forma que acontece com os consumidores com idade entre 25 a 29 (46%). Entre os mais jovens, com idade de 18 a 24 anos, a proporção cai para 20%. Na população idosa, considerando-se a faixa etária entre 65 a 84 anos, a proporção é de 31%.

É na região Sudeste em que se concentra a maior quantidade de consumidores com contas em atraso, em termos absolutos: 26,7 milhões – número que responde por 40% do total de consumidores residentes no estado. A segunda região com maior número absoluto de devedores é o Nordeste, que conta com 16,49 milhões de negativados, ou 41% da população. Em seguida, aparece o Sul, com 8,10 milhões de inadimplentes (36% da população adulta).

Já em termos proporcionais, destaca-se o Norte, que, com 5,49 milhões de devedores, possui 46% de sua população adulta incluída nas listas de negativados, o maior percentual entre as regiões pesquisadas. O Centro-Oeste, por sua vez, aparece com um total de 4,93 milhões de inadimplentes, ou 42% da população.

Os dados revelam ainda que o setor que apresentou a maior alta foi comunicação, com variação de 10,20%, seguido pelos bancos, com avanço de 2,31%. Já os setores de água e luz e o de comércio observaram queda de, respectivamente, 4,25% e 6,78%.

Em termos de participação, os bancos detêm pouco mais da metade do total de dívidas (50%). Em seguida, aparece o Comércio (18%); o setor de Comunicação (14%); e de Água e Luz (8%).

O Indicador de Inadimplência do Consumidor reúne todas as informações disponíveis nas bases de dados às quais o SPC Brasil e a CNDL têm acesso. As informações disponíveis referem-se às capitais e cidades do interior das 27 unidades da federação. A estimativa do número de inadimplentes apresenta erro aproximado de 4 p.p., a um intervalo de confiança de 95%.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *