Pesquisa revela como os brasileiros pretendem usar o 13º salário

A maior parte dos entrevistados (27%) pretende economizar, enquanto 23% quer comprar presentes e 17% precisa quitar dívidas em atraso.

A Câmara de Dirigentes Lojistas de Petrópolis acaba de divulgar um levantamento realizado em todas as capitais pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) revelando que dois (23%) em cada dez trabalhadores que recebem décimo terceiro salário devem utilizar ao menos parte desse dinheiro extra para comprar presentes de Natal. Na lista dos principais destinos quem encabeça é a intenção de poupar ou investir a quantia recebida, com 27% de menções.

Para o presidente da CDL Petrópolis, Luiz Felipe Caetano da Silva e Souza, tão importante quanto a porcentagem de consumidores que usarão o 13º para gastar com presentes é o número de brasileiros que pretende utilizar o dinheiro extra para quitar dívidas e assim recuperar o crédito.

– O natal é a data mais importante do ano para o comércio e o 13º salário é fundamental para o varejo que pode assim vender mais e, eventualmente, recuperar perdas ocorridas durante o ano. Sem dúvida que nós gostaríamos de ver nessa pesquisa um número muito maior de brasileiros usando esse dinheiro extra para compras, porém, diante da realidade da crise econômica é muito positivo também que as pessoas possam quitar dívidas e recuperar o crédito, porque assim garantimos as vendas por um período maior durante o ano – explica Luiz Felipe.

O recebimento do décimo terceiro salário também é visto pelos consumidores como uma oportunidade para organizar a vida financeira. De acordo com a pesquisa, 17% dos trabalhadores pretendem utilizar o dinheiro extra para quitar dívidas que estão em atraso. Há ainda 16% que vão gastar o recurso durante as festividades de Natal e Ano Novo e 13% que vão pagar despesas essenciais da casa, como contas de água e luz. Outra alternativa que aparece com menos força (11%) é guardar o dinheiro extra para cobrir tributos e impostos típicos de início de ano, como IPTU e IPVA, por exemplo.

A pesquisa ainda mostra que 44% dos entrevistados pretendem fazer bicos ou seja, atividades que possam gerar uma renda extra, para comprar mais presentes para o Natal, principalmente os mais jovens (54%) e as pessoas das classes C, D e E (51%).

Inicialmente foram ouvidas 761 pessoas nas 27 capitais para identificar o percentual de quem pretendia ir às compras no Natal e, depois, a partir de 607 entrevistas, investigou-se em detalhes o comportamento de consumo no Natal. A margem de erro é de 3,5 e 4,0 p.p, respectivamente, para um intervalo de confiança de 95%.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *