Desburocratização do Cadastro Positivo agrada CDL Petrópolis

Aprovação pelo Senado do Projeto de Lei que facilita a inclusão de consumidores e empresas no banco de dados de bons pagadores pode ampliar a oferta de crédito no país.

 

A CDL Petrópolis, assim como a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) comemora a aprovação do Projeto de Lei Complementar 441/2017, que desburocratiza as regras do Cadastro Positivo, pelo Plenário do Senado Federal, no último dia 13 de março.

Depois da sanção presidencial, todos os consumidores brasileiros que possuem CPF ativo e empresas inscritas no CNPJ passarão a fazer parte automaticamente do cadastro, a não ser que peçam a exclusão de suas informações, o que será feito de forma gratuita. O Cadastro Positivo é um banco de dados operado pela CNDL e pelo SPC Brasil, que reúne informações sobre o histórico de pagamentos realizados pelos consumidores.

Para o presidente da CDL Petrópolis, Luiz Felipe Caetano da Silva e Souza, essa mudança nas regras pode significar maior oferta de crédito e redução dos juros.

– Considerar o histórico de bom pagador de um consumidor ou de uma empresa na hora de conceder crédito é uma novidade no Brasil. O mercado sempre se protegeu dos inadimplentes e o alto índice de contas não pagas sempre foi uma justificativa para aumentar os juros. Agora, com a análise do cadastro positivo do cliente, será possível premiar o bom pagador com juros menores e isso pode significar um aumento na oferta de crédito – avalia Luiz Felipe.

O  cadastro positivo  permitirá uma avaliação de risco mais justa e individualizada. Além disso, favorecerá mais assertividade por parte do empresário nos processos de análise e concessão de financiamentos, empréstimos e compras a prazo. Isso tudo sem afetar a proteção de dados sensíveis e o próprio sigilo bancário, informações que permanecem preservadas, como todas as demais exigências previstas no Código de Defesa do Consumidor.

A mudança nas regras do Cadastro Positivo também deve estimular a competição na oferta de crédito entre instituições financeiras e empresas do varejo.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *