35% dos inadimplentes buscam acordo para quitar as dívidas

Pesquisa divulgada pela CDL Petrópolis ratifica que iniciativas como a do
Feirão Limpa Nome são de grande valia para os consumidores

 

Uma pesquisa feita em todas as capitais pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) revela que entre os consumidores inadimplentes que pretendem regularizar sua situação pelos próximos três meses, 35% querem tentar um acordo com o credor para parcelar o valor do débito. No total, 55% dos consumidores com contas atrasadas acreditam que terão condições de regularizar as dívidas, sendo que 35% pretendem pagar integralmente e 16% parcialmente. Por outro lado, 45% dos inadimplentes não se veem em condições financeiras de quitar suas dívidas nos próximos três meses.

Para o presidente da CDL Petrópolis, Luiz Felipe Caetano da Silva e Souza, se por um lado a pesquisa aponta números preocupantes como o fato de 45% dos devedores não terem condições de pagar suas dívidas em médio prazo, por outro, aponta que a negociação é a melhor estratégia.

– Nós da CDL Petrópolis apoiamos o Feirão Limpa Nome do Procon porque acreditamos que é fundamental negociar e a grande procura dos consumidores mostra que as pessoas querem regularizar sua situação e recuperar o poder de compra através de acordo. Por isso, minha empresa está lá, presente, assim como as de outros diretores e associados da CDL, além do apoio da entidade fornecendo na hora e de forma gratuita as informações verbais sobre a situação do consumidor junto ao SPC Brasil – afirma Luiz Felipe.

A pesquisa revela que fazer cortes no orçamento é a segunda alternativa mais citada pelos inadimplentes que planejam regularizar suas dívidas (28%), inclusive com um aumento de nove pontos percentuais na comparação com o ano passado.

A terceira estratégia mais citada é recorrer a um bico ou trabalho extra (24%), seguida daqueles que esperam contar com o pagamento de empréstimos feitos a terceiros (12%). Outras opções que cresceram em um ano são vender um bem (9%) e substituir a dívida por um empréstimo que cobra juros mais baixos (4%).

Na avaliação dos entrevistados, os principais empecilhos para quitar as dívidas em atraso e colocar a vida financeira em ordem são: não saber de onde tirar dinheiro para pagar as dívidas (28%), o fato de estarem desempregados (23%) e a queda na renda (20%).

A pesquisa ainda revela que a escala de prioridades do consumidor é encabeçada pelas despesas consideradas mais importantes para a vida diária. Os compromissos financeiros que os inadimplentes mais pagam em dia são o aluguel (84%), plano de saúde (82%) e condomínio (78%). Outras contas que os inadimplentes têm procurado manter quitadas na maior parte das vezes são as com TV por assinatura e internet (73%) e também contas de água e luz (72%).

Os empréstimos em bancos ou financeiras (69%), os crediários em lojas (68%) e as faturas atrasadas de cartão de crédito (67%) despontam como os tipos de contas que mais deixaram os inadimplentes com o ‘nome sujo’. Há ainda 52% de pessoas que ficaram nessa situação após entrarem no cheque-especial ou por atrasarem o pagamento do financiamento de automóvel.

A análise socioeconômica da pesquisa revela que a concentração de inadimplentes no Brasil é expressivamente maior entre os brasileiros das classes C, D e E (94%), sendo que em média, cada inadimplente recebe R$ 2.335,32 por mês. Além disso, oito em cada dez (79%) brasileiros com contas em atraso ganham no máximo três salários mínimos.

No geral, 58% dos inadimplentes no Brasil são mulheres, ao passo que 42% homens. A idade média é de 38 anos e tendo em sua maioria, mais de três pessoas morando na mesma casa, predominantemente na região Sudeste (46%) e Nordeste (24%). Outra constatação é que 80% dos inadimplentes têm no máximo o ensino médio completo e outros 20% concluíram ou estão cursando o ensino superior.

A pesquisa ouviu 600 consumidores com contas em atraso há mais de três meses acima de 18 anos, de ambos os gêneros, de todas as classes sociais e que residem nas 27 capitais do país. A margem de erro é de no máximo 3,4 pontos a um intervalo de confiança de 95%.

Pesquisa aponta que 37% dos inadimplentes devem até R$ 500

CDL Petrópolis divulga indicador CNDL/SPC Brasil e acredita que o Feirão Limpa Nome pode ajudar esses consumidores a regularizarem sua situação na cidade

 

A Câmara de Dirigentes Lojistas de Petrópolis informa que os dados apurados pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) mostram que um percentual relevante de pessoas que estão com contas em atraso deve quantias que não chegam a quatro dígitos. Em cada dez consumidores que começaram o mês de agosto com o CPF inscrito na lista de inadimplentes, quatro (37%) devem até R$ 500 e a maioria dos inadimplentes brasileiros (53%) possui dívidas que somadas não ultrapassam R$ 1.000. Outros 20% devem algum valor entre R$ 1.000 e R$ 2.500, ao passo que 16% devem entre R$ 2.500 e R$ 7.500. Já as dívidas acima de R$ 7.500 são objeto de preocupação de 10% das pessoas que estão negativadas no Brasil. De acordo com o levantamento, cada consumidor inadimplente tem, no geral, duas dívidas em aberto.

Segundo o presidente da CDL Petrópolis, Luiz Felipe Caetano da Silva e Souza, esses dados são muito significativos e podem ajudar, especialmente em Petrópolis, por conta do Feirão Limpa Nome que o Procon local promove de 26 a 30 de agosto, os consumidores a recuperarem seu crédito.

– Essa pesquisa mostra ao mesmo tempo um dado triste, reflexo da nossa crise econômica, já que a maioria das pessoas não está conseguindo pagar dividas de valores menores, mas também aponta para uma esperança já que aqui na cidade teremos esse feirão limpa nome, dessa vez com a participação da CDL Petrópolis, e as condições de negociação podem ser decisivas para que esses consumidores possam regularizar sua situação e recuperar poder de compra, o que é bom para todos – explica Luiz Felipe.

As dívidas relativamente baixas podem ter relação com o tipo de conta que o brasileiro tem deixado atrasar. De acordo com o indicador, considerando somente as contas de serviços básicos como água e luz, houve um crescimento de 16,03% no volume de atrasos em julho na comparação com o mesmo mês do ano passado. Em segundo lugar aparecem as dívidas bancárias, como cartão de crédito, cheque especial, empréstimos e financiamentos, que avançaram 2,25% na mesma base de comparação.

Embora os atrasos com serviços básicos para o funcionamento da casa tenham crescido mais no mês de julho, a maior parte (53%) das dívidas em aberto no Brasil tem alguma instituição financeira como credor. Já o comércio responde por uma fatia de 17% do total de dívidas, enquanto o setor de comunicação por 11% e as contas de água e luz completam o ranking com 10%.

De modo geral, o volume de consumidores com contas em atraso e registrados em lista de inadimplentes continua crescendo: avanço de 1,73% na comparação com o mesmo mês do ano passado. Ainda assim, houve uma desaceleração, pois em julho de 2018, a alta havia sido de 4,31%. O dado observado em julho é o segundo menor desde 2011, início da série histórica.

Mesmo crescendo a patamares mais modestos, o estoque de brasileiros com o ‘nome sujo’ ainda é elevado no país: estimativa de abril deste ano mostra que aproximadamente 40% da população adulta está inscrita em lista de inadimplentes, enfrentando problemas para comprar a crédito, obter empréstimos, financiamentos ou obter aprovação de cartão de crédito, por exemplo.

O indicador de inadimplência do consumidor sumariza todas as informações disponíveis nas bases de dados às quais o SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e a CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) têm acesso. As informações disponíveis referem-se a capitais e interior das 27 unidades da federação.

Aos 58 anos CDL Petrópolis oferece muito mais do que o SPC

Entidade ligada aos empresários tem associados de vários ramos de negócios e oferece serviços que auxiliam na gestão dos negócios.

Fundada em 04 de agosto de 1961, a Câmara de Dirigentes Lojistas de Petrópolis nasceu por causa da necessidade da troca de informações de crédito entre empresários do comércio para dar mais segurança na hora de vender a prazo. Surgia então o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) e seu banco de dados sobre os consumidores brasileiros, que se tornou amplo e completo.
Hoje, 58 anos depois, o próprio SPC mudou com a inclusão do Cadastro Positivo e a entidade oferece aos seus associados uma gama de produtos e serviços para auxiliar na gestão das empresas e no relacionamento com os clientes, fornece Certificados Digitais, além de ter se firmado como uma das mais representativas entidades da sociedade civil organizada da cidade.
O presidente da CDL Petrópolis, Luiz Felipe Caetano da Silva e Souza, lembra a importância da parceria com o empresariado e destaca os esforços para que a entidade se mantenha atuante e moderna.
– Estamos a mais de meio século ao lado dos empresários dessa cidade, merecendo a confiança do setor produtivo e da população como um todo. Isso é muito gratificante, porque a CDL é uma referência na cidade e essa reputação vem sendo construída dia a dia no nosso relacionamento com empresários e com a comunidade petropolitana. Eu gostaria de agradecer o empenho dos diretores e conselheiros que, de forma voluntária, me ajudam a gerir a CDL, aos nossos funcionários e funcionárias sempre dedicados e aos associados que reconhecem os esforços para nos mantermos modernos e atuantes nesses 58 anos de história – afirma Luiz Felipe.
O presidente da CDL Petrópolis lembra ainda que, muito além da qualidade das informações de crédito do SPC Brasil e da Serasa, a entidade realiza esforços constantes para firmar parcerias como a que permite ao associado efetuar protesto de títulos sem o pagamento das custas iniciais, os convênios com faculdades e universidades locais que oferecem descontos reais e significativos para o empresário, seus familiares e colaboradores em diversos cursos, planos de saúde Unimed e atendimento exclusivo para a emissão de Certificados Digitais, entre outros convênios através do seu Cartão Benefícios.
A CDL Petrópolis é uma entidade sem fins lucrativos criada, mantida e dirigida por empresários de Petrópolis que tem o objetivo de apoiar seus associados, mas que atua também em prol da cidade colaborando para estimular o desenvolvimento econômico e social do município.

CDL Petrópolis vê com otimismo MP que garante liberdade para horário de funcionamento do comércio

Medida provisória assinada no último dia 30 retira as restrições à abertura dos estabelecimentos comerciais e outras atividades econômicas

  

O presidente da CDL Petrópolis, Luiz Felipe Caetano da Silva e Souza vê com bons olhos a edição da Medida Provisória 881/2019  chamada de MP da Liberdade Econômica que, entre outras determinações, permite o funcionamento do comércio e de outras atividades econômicas em qualquer dia ou horário da semana, limitando-se apenas às normas referentes ao sossego público e a possíveis restrições estabelecidas por condomínios. Para o presidente da CDL Petrópolis, a MP é especialmente benéfica para o comércio da cidade.

– O turismo é a principal vocação do município e o comércio sempre lutou para ter o direito de funcionar livremente aos domingos e feriados quando a cidade recebe, naturalmente, um número maior de visitantes. É verdade que os sindicatos têm firmado acordos ao longo dos anos para flexibilizar o horário, mas agora surge essa regra geral e ampla que nos beneficia automaticamente. Como a MP deixa claro que a legislação trabalhista precisa ser observada, acredito que não haverá abusos e que nesses tempos de crise econômica o comercio poderá encontrar um alento – afirma Luiz Felipe.

O objetivo da Medida Provisória, segundo o governo federal, é liberar as atividades econômicas de regras restritivas para que seja garantido o livre exercício da atividade econômica propiciando assim condições favoráveis à geração de emprego e renda e à garantia do livre mercado.

A MP entra em vigor imediatamente, mas deverá ser submetida à aprovação da Câmara e do Senado. Segundo o Governo Federal, enquanto a MP estiver em vigor, toda legislação federal, estadual ou municipal, assim como os acordos e convenções trabalhistas  que estiverem contrárias ao que determina o texto da Medida Provisória estão revogados.

CDL Petrópolis pode fornecer certidões de cartórios de todo o estado

Convênio firmado com a Anoreg permite solicitar documentos de cartórios de Petrópolis e outras cidades no balcão da entidade

 

O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Petrópolis, Luiz Felipe Caetano da Silva e Souza, e o presidente da Associação dos Notários e Registradores do Rio de Janeiro (Anoreg – RJ), Dr. Renaldo Andrade Bussière assinaram  um convênio que permite à CDL Petrópolis oferecer aos associados da entidade e ao público em geral o acesso à plataforma oficial de notários e registradores para requerer centenas de certidões sem a necessidade de comparecer aos cartórios. O serviço abrange todo o estado do Rio de Janeiro.

Na foto, à esquerda, Renaldo Bussière, presidente da Anoreg RJ ao lado de Luiz Felipe Caetano da Silva e Souza, presidente da CDL Petrópolis.

Estarão disponíveis certidões para pessoas físicas e jurídicas dos cartórios de protesto, títulos e documentos, registro de imóveis e tabelionato de notas. Poderão ser solicitadas certidões negativas de protesto, de interdição e tutelas, de ônus reais do registro de imóveis, entre centenas de outros documentos. Os interessados farão o pedido no balcão da CDL, que encaminhará a requisição a qualquer cartório do estado do Rio de Janeiro, este enviará a certidão por e-mail para a CDL Petrópolis que poderá imprimir ou envia-la também por e-mail à pessoa que fez o pedido. Em alguns casos, como nas certidões de protesto de Petrópolis, é possível conseguir o documento imediatamente, na mesma hora do pedido. Está previsto o pagamento de uma pequena taxa pelo serviço e os associados da CDL Petrópolis pagarão um valor diferenciado.

O presidente da CDL Petrópolis, Luiz Felipe Caetano da Silva e Souza destacou a praticidade do serviço.

– Mais uma vez a CDL Petrópolis presta um serviço relevante à comunidade. Aliás, somos a primeira CDL do país, a firmar uma parceria como essa. Graças a esse convênio com a Anoreg estamos usando as comodidades da tecnologia para proporcionar uma economia de tempo e dinheiro à população que não precisará mais se deslocar a outros municípios do estado para requerer esse tipo de documento evitando assim gastos com transporte, sem falar no tempo que se perde – explicou Luiz Felipe.

Já o presidente da Anoreg RJ, Renaldo Bussière, lembrou a confiabilidade do serviço.

– Trata-se de um sistema homologado e autorizado pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro que interliga todos os cartórios do estado aptos a fornecer certidões virtuais com todos os itens de segurança exigidos para as certidões físicas. Isso não apenas mostra a confiabilidade do serviço como permite uma grande facilidade para as pessoas que, eventualmente, precisariam se deslocar a outros municípios ou mesmo para os distritos de Petrópolis – declarou Renaldo.

Participaram ainda da assinatura do convênio o assessor da Central de Protestos do Rio de Janeiro, Carlos Eduardo Gabizo Leite Penteado e o substituto do 2º Ofício de Protestos de Petrópolis, Jorge Rossi.

Para maiores informações, basta ligar para a CDL Petrópolis pelo telefone (24) 2244-1900.

Dia das Mães (Domingo 12/05) será feriado no estado do Rio de Janeiro

Informamos que a partir deste ano, o Dia das Mães foi decretado FERIADO ESTADUAL, conforme aprovado pela Alerj e Comissão de Justiça, contrariando assim o veto do Sr. Governador do estado.

Dessa forma, através da Lei 8.174/18 a partir de 2019 o segundo domingo do mês de maio torna-se feriado estadual no Rio de Janeiro. Assim sendo, as empresas que, por ventura, desejarem funcionar nesse dia deverão procurar obter esclarecimentos junto aos seus contadores ou aos respectivos sindicatos patronais a fim de evitarem penalizações através de multas ou demais sanções.

CDL Petrópolis explica o que muda para o consumidor com a desburocratização do Cadastro Positivo

Nova lei visa tornar o acesso ao crédito mais fácil e com juros menores para consumidores e empresas que honram seus compromissos financeiros.

Com a publicação no Diário Oficial da União da lei que desburocratiza as regras do Cadastro Positivo (Lei Complementar 166), começam a contar os prazos para o novo modelo entrar em operação. Pelos próximos 90 dias, haverá uma campanha de comunicação para conscientizar os consumidores sobre as novas regras. Já as informações do banco de dados estarão disponibilizadas para o mercado de crédito daqui a 150 dias.

Para o presidente da CDL Petrópolis, Luiz Felipe Caetano da Silva e Souza, a inclusão automática de todos os consumidores no Cadastro Positivo representa um avanço muito significativo nos procedimentos de análise e concessão de crédito no Brasil.

– Na minha opinião,  o mais importante é a possibilidade de ampliar o universo para que as empresas e instituições financeiras possam analisar um pedido de concessão de crédito. Não estaremos mais apenas considerando as informações restritivas. Isto é, mais do que sabermos quem está com o “nome sujo”, saberemos quem está com o “nome limpo” e esse bom pagador pode sim ser premiado com juros menores ou condições diferenciadas para o seu crédito. Eu penso que isso é muito bom para a economia brasileira – avalia Luiz Felipe.

Diferentemente do Cadastro Negativo, que aponta somente a situação atual de restrição ao crédito, o Cadastro Positivo é um banco de dados que apresenta o histórico de pagamentos realizados pelos consumidores. Trata-se de um serviço gratuito em que todos têm direito de participar. Sua finalidade é possibilitar aos consumidores acesso ao crédito com mais facilidade e juros menores (de acordo com a análise das empresas credoras), pois com seu histórico de pagamento disponível, eles conseguirão dar mais insumo às empresas no momento da análise de crédito.

A principal mudança prevista na Lei Complementar 166 refere-se ao formato de entrada dos consumidores no Cadastro Positivo. Com o novo modelo, todos os consumidores passam a participar automaticamente do banco de dados. Mas os consumidores não são obrigados a permanecer na base do Cadastro Positivo e podem pedir a exclusão de seus dados, de forma gratuita, a qualquer momento. Assim como podem voltar quando quiserem.

É importante frisar que todas as regras e benefícios direcionados aos consumidores pessoas físicos também devem ser considerados para as empresas, pois todas têm algum tipo de relacionamento comercial com fornecedores e clientes e, portanto, também terão um histórico de pagamentos.

O score de crédito é resultado da análise estatística dos hábitos de pagamento do consumidor, do seu relacionamento com o mercado e de seus dados cadastrais. O peso de cada uma dessas informações é definido de acordo com um estudo do comportamento histórico de grupos de indivíduos com características financeiras parecidas. Desse modo, estatisticamente, é possível comparar as características de um consumidor específico com outros do mesmo grupo para o cálculo da nota do score.

Desburocratização do Cadastro Positivo agrada CDL Petrópolis

Aprovação pelo Senado do Projeto de Lei que facilita a inclusão de consumidores e empresas no banco de dados de bons pagadores pode ampliar a oferta de crédito no país.

 

A CDL Petrópolis, assim como a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) comemora a aprovação do Projeto de Lei Complementar 441/2017, que desburocratiza as regras do Cadastro Positivo, pelo Plenário do Senado Federal, no último dia 13 de março.

Depois da sanção presidencial, todos os consumidores brasileiros que possuem CPF ativo e empresas inscritas no CNPJ passarão a fazer parte automaticamente do cadastro, a não ser que peçam a exclusão de suas informações, o que será feito de forma gratuita. O Cadastro Positivo é um banco de dados operado pela CNDL e pelo SPC Brasil, que reúne informações sobre o histórico de pagamentos realizados pelos consumidores.

Para o presidente da CDL Petrópolis, Luiz Felipe Caetano da Silva e Souza, essa mudança nas regras pode significar maior oferta de crédito e redução dos juros.

– Considerar o histórico de bom pagador de um consumidor ou de uma empresa na hora de conceder crédito é uma novidade no Brasil. O mercado sempre se protegeu dos inadimplentes e o alto índice de contas não pagas sempre foi uma justificativa para aumentar os juros. Agora, com a análise do cadastro positivo do cliente, será possível premiar o bom pagador com juros menores e isso pode significar um aumento na oferta de crédito – avalia Luiz Felipe.

O  cadastro positivo  permitirá uma avaliação de risco mais justa e individualizada. Além disso, favorecerá mais assertividade por parte do empresário nos processos de análise e concessão de financiamentos, empréstimos e compras a prazo. Isso tudo sem afetar a proteção de dados sensíveis e o próprio sigilo bancário, informações que permanecem preservadas, como todas as demais exigências previstas no Código de Defesa do Consumidor.

A mudança nas regras do Cadastro Positivo também deve estimular a competição na oferta de crédito entre instituições financeiras e empresas do varejo.

 

Em Petrópolis, mais de 5 mil exclusões do SPC Brasil em 2018

Somente em dezembro 595 registros deixaram o banco de dados e os consumidores puderam voltar ao mercado

 

         A Câmara de dirigentes Lojistas de Petrópolis acaba de divulgar o balanço das atividades do SPC Brasil na cidade em 2018. Ao todo, foram incluídas 11.738 contas não pagas e excluídas 5.278 dívidas, com destaque para o mês de dezembro de 2018 quando 595 registros foram baixados, número bem superior ao de novembro que registrou 337 exclusões, apenas no município.

         O presidente da CDL Petrópolis Luiz Felipe Caetano da Silva e Souza destaca a importância da regularização das pendências para o comércio da cidade.

         – É muito bom poder constatar que, apesar da crise que se arrasta na economia brasileira, alguns consumidores estão conseguindo honrar seus compromissos. Essas mais de 5 mil contas pagas em 2018 e as quase 600 regularizadas só em dezembro representa a volta desses consumidores, antes inadimplentes, ao mercado, movimentando a economia e gerando desenvolvimento econômico em nossa cidade – explica Luiz Felipe.

         O presidente  da CDL Petrópolis explicou ainda que os números referem-se a contas não pagas e não a consumidores, porque muitas vezes um consumidor está registrado por mais de uma dívida.

         O levantamento da CDL Petrópolis aponta ainda que somente no mês de Dezembro de 2018 das 11.269 consultas feitas ao banco de dados do SPC Brasil, no município, 3.565 apresentaram algum tipo de problema capaz de impedir a concessão de crédito, o que representa 31,64% das consultas.

         Segundo Luiz Felipe Caetano da Silva e Souza, esse dado é muito importante para que os empresários associados percebam a importância de consultar o SPC Brasil antes de realizar uma venda para, dessa forma, protegerem-se da inadimplência. 

Empresários apostam na Black Friday para aumentar as vendas

Pesquisa divulgada pela CDL Petrópolis aponta que mais da metade dos empresários pretende realizar promoções especiais, 32% investir na divulgação de sua empresa e 29% ampliar o estoque. Desconto médio deve girar em torno de 29%

Mesmo em meio a um cenário de incertezas na economia do país, a expectativa de parte dos empresários para a Black Friday brasileira deste ano é de bons resultados. Ao chegar a sua nona edição, se consolida como uma das principais datas para o varejo. Um levantamento feito em todas as capitais pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) revela que 11% das empresas pretendem aderir a Black Friday — percentual que sobe para 16% no setor de comércio. Desse total, 77% enxergam uma oportunidade para aumentar suas vendas e 19% em girar produtos em estoque.

Para o presidente da CDL Petrópolis, Luiz Felipe Caetano da Silva e Souza, a data, que já é esperada pelos consumidores, tem ganhado cada vez mais importância junto ao varejo.

– A Black Friday é uma novidade no Brasil, mas a cada ano que passa mais empresários têm aderido e hoje já se pode dizer que se criou uma boa expectativa entre os consumidores. Nesses tempos de crise econômica, tem sido bem interessante para o setor a possibilidade de oferecer produtos com descontos o que ajuda a baixar os estoques e também ajuda, e muito, a divulgar a empresa, preparando-se assim para as vendas de natal – explica Luiz Felipe.

As principais estratégias de preparação que devem ser adotadas pelos empresários que participarão da Black Friday envolvem realização de promoções especiais (52%), investimento na divulgação de seu negócio (32%) e ampliação do estoque (29%). Para atrair os consumidores, o desconto médio a ser aplicado nos produtos ou serviços durante o período do evento será de 29%, sendo que 33% dos empresários prometem descontos que variam entre 31% e 50%.

Outro dado apontado pela pesquisa mostra que um em cada quatro (25%) empresários participantes do evento acredita que as vendas no Black Friday 2018 serão melhores em relação ao ano passado, enquanto 35% acham que serão iguais e apenas 10% avaliam que serão piores.

Ainda que a Black Friday seja tradicionalmente realizada na última sexta-feira de novembro, a apenas um mês das festas de final de ano, 26% dos empresários consideram que o evento é um indicativo de como serão vendas para o Natal — em maior medida no setor de comércio (29%).

Além disto, 47% acreditam que a Black Friday não interfere nas vendas de Natal, enquanto para 32% contribui para aumentar o faturamento e apenas 10% afirmam que há algum tipo de prejuízo.

Foram ouvidos 1.168 empresários de serviços e comércio varejista localizados nas capitais e no interior do país. A margem de erro é de 3,0 p.p. com um intervalo de confiança de 95%.