Entrega da ECF vai até 31 de julho e precisa de Certificado Digital

CDL Petrópolis lembra aos empresários que para remeter os dados da Escrituração Contábil Fiscal ao Fisco é necessário o uso da certificação digital.

          Termina no final deste mês o prazo legal para que as empresas optantes do Lucro Real, Lucro Presumido, Lucro Arbitrado e aquelas imunes ou isentas, apresentem a Escrituração Contábil Fiscal (ECF) no Sistema Público de Escrituração Digital, SPED, constando todas as operações que compõe a base de cálculo do Imposto de Renda Pessoa Jurídica e a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), autenticando as informações através do uso do Certificado Digital.

O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Petrópolis, Luiz Felipe Caetano da Silva e Souza, ressalta a importância da modernização das relações com o Fisco representada pela adoção dos certificados digitais e lembra que a CDL está apta a fornecer a certificação aos empresários, contabilistas e demais interessados.

– Nós da CDL Petrópolis nos preparamos para oferecer mais essa comodidade aos nossos associados, aos empresários em geral e a toda a sociedade. Dispomos de um Agente de Registro atendendo em nossa sede de segunda a sexta-feira para que essa importante modernização do sistema tributário brasileiro esteja acessível a todos. Os certificados digitais não apenas facilitam a vida do empresário na sua relação com o Fisco, como dão mais segurança às transações realizadas no ambiente virtual da internet – explica Luiz Felipe.

No que se refere à ECF, essa obrigação foi implantada pela Receita Federal no ano-calendário de 2014 para substituir a Declaração do Imposto de Renda Pessoa Jurídica de algumas empresas, com exceção daquelas optantes pelo Simples Nacional, autarquias, fundações, órgãos públicos e as empresas inativas.

Para maiores informações sobre a certificação digital da CDL basta ligar para 2244-1900 ou enviar e-mail para [email protected]         

Pesquisa da CDL e do SPC Brasil aponta ineficiência das empresas que prometem “limpar o nome” do consumidor inadimplente

Segundo o levantamento, em 60% dos casos, esse tipo de empresa não resolve o problema. CDL Petrópolis lembra que não há como deixar o cadastro de inadimplentes sem negociar a dívida.

A Câmara de Dirigentes Lojistas de Petrópolis acaba de divulgar um levantamento feito pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) com brasileiros inadimplentes e pessoas que estiveram nesta situação em algum momento nos últimos 12 meses, revelando que em 60% dos casos, quem contratou uma empresa como intermediária para ter o nome limpo não conseguiu ter o problema resolvido. De modo geral, 9% dos inadimplentes contrataram o serviço de alguma dessas empresas para conseguir sair do cadastro de devedores.

O presidente da CDL Petrópolis, Luiz Felipe Caetano da Silva e Souza, lembra que para deixar o cadastro de inadimplentes, não há outra maneira além de negociar e quitar a dívida e que para isso não há necessidade de pagamento de taxas e muito menos da intermediação de empresas ou especialistas.

– Só tem um jeito de “limpar o nome” no SPC Brasil ou na Serasa: pagando a dívida. Muitas pessoas que enfrentam dificuldades financeiras podem querer acreditar que uma empresa possa fazer uma dívida desaparecer, sem que ela tenha sido quitada ou negociada. Só que isso não existe e infelizmente tem quem faça promessas impossíveis e cobre várias taxas para fazer esse “milagre” acontecer. Depois o consumidor acabará descobrindo que pagou a essa empresa e continua inadimplente – alerta Luiz Felipe.

Segundo os dados da pesquisa, considerando os entrevistados que não tiveram o nome limpo pela empresa contratada, apenas 28% conseguiram recuperar todo o dinheiro, sendo que a maior parte não teve o valor devolvido (37%) ou apenas parte da cobrança foi reembolsada (34%). Entre os entrevistados que contrataram empresas para limpar o nome, a maioria (56%) nem sabe ao certo o quanto pagaram por este serviço, e entre os que sabem, 36% pagaram quantias que variam em até R$ 1 mil.

A facilidade de encontrar empresas que façam esse tipo de serviço pode ser identificada pelo meio que os consumidores as encontraram: um terço (33%) descobriu a empresa pela internet, seguida por indicação de amigos e parentes (31%). Outras formas também usuais foram os anúncios em jornais (13%), ter passado em frente a empresa (12%) e até mesmo a abordagem direta da empresa (7%) ou distribuição de panfletos (4%). Segundo a pesquisa, 48% dos entrevistados mostram-se arrependidos e avaliam que não valeu a pena ter contratado esse tipo de assessoria para se livrar das dívidas.

A CDL Petrópolis lembra que o melhor caminho para sair do endividamento é a negociação com o credor, sem intermediários. Só assim é possível ter certeza de que todo o dinheiro gasto está sendo empregado diretamente para quitar as dívidas em atraso. Além disso, ao tratar diretamente com o credor, o consumidor pode obter melhores condições, como descontos e prazos maiores, por exemplo.

A pesquisa entrevistou 602 consumidores residentes em todas as regiões brasileiras, com idade igual ou superior a 18 anos, de ambos os sexos e de todas as classes sociais, atuais inadimplentes ou ex-inadimplentes há no máximo 12 meses. A margem de erro é de 3,99 pontos percentuais para uma confiança de 95%.

CDL alerta: novas exigências de certificação digital para empresas do Simples

Obrigatoriedade do certificado digital  para emitir GFIP atinge agora empresas que tenham entre três e cinco empregados

 

          A Câmara de Dirigentes Lojistas de Petrópolis está alertando os empresários da cidade optantes pelo Simples para que fiquem atentos a uma mudança importante: desde o dia 1 de janeiro de 2017, quem tiver no seu quadro funcional entre três e cinco empregados precisará adquirir um certificado digital tipo e-CNPJ para enviar as informações trabalhistas, fiscais e previdenciárias por meio da GFIP e do e-Social. Trata-se de uma resolução do Comitê Gestor do Simples Nacional ampliando a exigência que, anteriormente, atingia apenas as empresas do Simples com mais de cinco empregados.

Para o presidente da CDL Petrópolis, Luiz Felipe Caetano da Silva e Souza, a modernização dos relacionamentos das empresas com o Fisco através da certificação digital é uma realidade irreversível.

– Nós, empresários, precisamos nos preparar para esses novos tempos. Temos que fazer a certificação e para auxiliar nessa mudança, a CDL Petrópolis oferece o serviço de expedição de certificados digitais, com tarifas diferenciadas para os nossos filiados e também para os da Associação dos Contabilistas de Petrópolis.

O Certificado Digital é um documento eletrônico que possibilita comprovar a identidade de uma pessoa, uma empresa ou um site, para assegurar as transações on-line e a troca eletrônica de documentos, mensagens e dados, com presunção de validade jurídica. Ele pode estar num cartão magnético ou num token e, além das empresas, alguns profissionais liberais como contabilistas e advogados também necessitam do Certificado Digital para uso profissional.

Para maiores informações sobre a certificação digital na CDL Petrópolis, basta ligar para o telefone 2244-1900.

Descubra que tipo de consumidor é você

CDL Petrópolis e SPC Brasil divulgam teste para avaliar consumo consciente

A Câmara de Dirigentes Lojistas de Petrópolis acaba de divulgar uma pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) mostrando que a maioria dos brasileiros reconhece a importância de consumir de forma consciente, mas nem todos praticam, individualmente, ações colaborativas para a vida em sociedade. De acordo com o levantamento, apenas dois em cada dez consumidores (21,8%) podem ser considerados “conscientes’.

Para ajudar os internautas a identificarem se são consumidores conscientes, o portal “Meu Bolso Feliz”, uma iniciativa de educação financeira do SPC Brasil, desenvolveu um teste que avalia o nível de engajamento e as práticas responsáveis dos brasileiros na hora de consumir, conforme explica o presidente da CDL Petrópolis, Luiz Felipe Caetano da Silva e Souza.

– O teste é composto de perguntas que englobam as três grandes dimensões que compõem o conceito de consumo consciente, como as atitudes financeiras, avaliando as habilidades dos consumidores para lidar com os apelos do consumismo; as práticas ambientais, que investiga a disposição do consumidor para minimizar o impacto do consumo no meio ambiente; e as atitudes para engajamento social, que levam em consideração se o consumidor analisa as consequências de suas ações na sociedade e incentiva os outros a procederem de maneira responsável aponta Luiz Felipe.

O teste divide os consumidores em três categorias distintas, de acordo com a intensidade da prática dos comportamentos considerados adequados: “consumidores conscientes” – que apresentam frequência de atitudes corretas acima de 80%; “consumidores em transição” – cuja frequência varia entre 60% e 80% de atitudes adequadas, e “consumidores nada ou pouco conscientes” – quando a incidência de comportamentos apropriados não atinge 60%.

Para descobrir em qual categoria o consumidor se enquadra, ele deve responder ao teste com questões múltiplas disponível no portal “Meu Bolso Feliz” no link http://meubolsofeliz.com.br/teste/consumo-consciente.