Pesquisa da CDL e do SPC Brasil aponta ineficiência das empresas que prometem “limpar o nome” do consumidor inadimplente

Segundo o levantamento, em 60% dos casos, esse tipo de empresa não resolve o problema. CDL Petrópolis lembra que não há como deixar o cadastro de inadimplentes sem negociar a dívida.

A Câmara de Dirigentes Lojistas de Petrópolis acaba de divulgar um levantamento feito pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) com brasileiros inadimplentes e pessoas que estiveram nesta situação em algum momento nos últimos 12 meses, revelando que em 60% dos casos, quem contratou uma empresa como intermediária para ter o nome limpo não conseguiu ter o problema resolvido. De modo geral, 9% dos inadimplentes contrataram o serviço de alguma dessas empresas para conseguir sair do cadastro de devedores.

O presidente da CDL Petrópolis, Luiz Felipe Caetano da Silva e Souza, lembra que para deixar o cadastro de inadimplentes, não há outra maneira além de negociar e quitar a dívida e que para isso não há necessidade de pagamento de taxas e muito menos da intermediação de empresas ou especialistas.

– Só tem um jeito de “limpar o nome” no SPC Brasil ou na Serasa: pagando a dívida. Muitas pessoas que enfrentam dificuldades financeiras podem querer acreditar que uma empresa possa fazer uma dívida desaparecer, sem que ela tenha sido quitada ou negociada. Só que isso não existe e infelizmente tem quem faça promessas impossíveis e cobre várias taxas para fazer esse “milagre” acontecer. Depois o consumidor acabará descobrindo que pagou a essa empresa e continua inadimplente – alerta Luiz Felipe.

Segundo os dados da pesquisa, considerando os entrevistados que não tiveram o nome limpo pela empresa contratada, apenas 28% conseguiram recuperar todo o dinheiro, sendo que a maior parte não teve o valor devolvido (37%) ou apenas parte da cobrança foi reembolsada (34%). Entre os entrevistados que contrataram empresas para limpar o nome, a maioria (56%) nem sabe ao certo o quanto pagaram por este serviço, e entre os que sabem, 36% pagaram quantias que variam em até R$ 1 mil.

A facilidade de encontrar empresas que façam esse tipo de serviço pode ser identificada pelo meio que os consumidores as encontraram: um terço (33%) descobriu a empresa pela internet, seguida por indicação de amigos e parentes (31%). Outras formas também usuais foram os anúncios em jornais (13%), ter passado em frente a empresa (12%) e até mesmo a abordagem direta da empresa (7%) ou distribuição de panfletos (4%). Segundo a pesquisa, 48% dos entrevistados mostram-se arrependidos e avaliam que não valeu a pena ter contratado esse tipo de assessoria para se livrar das dívidas.

A CDL Petrópolis lembra que o melhor caminho para sair do endividamento é a negociação com o credor, sem intermediários. Só assim é possível ter certeza de que todo o dinheiro gasto está sendo empregado diretamente para quitar as dívidas em atraso. Além disso, ao tratar diretamente com o credor, o consumidor pode obter melhores condições, como descontos e prazos maiores, por exemplo.

A pesquisa entrevistou 602 consumidores residentes em todas as regiões brasileiras, com idade igual ou superior a 18 anos, de ambos os sexos e de todas as classes sociais, atuais inadimplentes ou ex-inadimplentes há no máximo 12 meses. A margem de erro é de 3,99 pontos percentuais para uma confiança de 95%.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *