Quase metade dos inadimplentes não sabe quantas parcelas ainda têm a pagar

Estudo divulgado pela CDL Petrópolis aponta dificuldades dos consumidores com  educação financeira a ponto de 40% desconhecerem até mesmo o valor dos seus rendimentos

A falta de atenção em relação à educação financeira e o desconhecimento a respeito das próprias contas são algumas das razões que  dificultam o pagamento das dívidas atrasadas e a organização do orçamento familiar. Segundo uma pesquisa nacional realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), 42,2% dos inadimplentes não têm muito conhecimento sobre o número de parcelas das compras a crédito que serão pagas no próximo mês, três em cada dez (33,9%) não sabem ao certo o valor das contas básicas e 40,3% desconhecem até mesmo sua renda total.

O presidente da CDL Petrópolis, Luiz Felipe Caetano da Silva e Souza destaca a importância dessa pesquisa não apenas no que se refere a um entendimento maior das causas da inadimplência, mas, principalmente, no auxílio ao consumidor para que ele se planeje melhor.

– É claro que o comércio quer vender, mas também quer receber em dia, é evidente. Por isso é importante que a educação financeira seja levada em conta pelos consumidores. É preciso, no mínimo, que nossos clientes saibam quanto ganham e quanto podem comprometer do seu orçamento para que essa relação lojista/consumidor seja boa para todos, por isso essa pesquisa é muito importante – afirma Luiz Felipe.

O presidente da CDL Petrópolis destaca ainda que esse tipo de pesquisa demonstra como o SPC evoluiu. Hoje, afirma o empresário, a CDL e o SPC não estão preocupados apenas em fornecer uma informação de crédito qualificada, é importante, sobretudo, ressalta, municiar o empresário de informações que o ajudem nas tomadas de decisões, assim como cuidar para que as relações de consumo sejam cada vez mais harmônicas.

A pesquisa mostra que quatro em cada dez brasileiros inadimplentes não tem conhecimento sobre os valores dos produtos e serviços comprados a crédito que serão pagos no próximo mês (43,5%) e nem quais são eles (43,5%).

– Seja qual for o motivo que levou o consumidor a tornar-se inadimplente, uma coisa é certa: deixar de acompanhar atentamente as próprias finanças e contas só piora as coisas, pois só assim é possível viver dentro do padrão de vida adequado à sua realidade – aconselha o educador financeiro do SPC Brasil, José Vignolli.

Quando perguntados sobre quais são as prioridades financeiras, as mais citadas foram a compra de alimentos, produtos de higiene e limpeza (43,9%), seguido pelo pagamento no prazo das contas mensais, como luz e telefone (30,6%) e o pagamento das dívidas em atraso para limpar o nome (11%).

Os resultados da pesquisa revelam ainda que os problemas com dívidas em atraso impõem restrições consideráveis ao consumo, obrigando os consumidores a rever o orçamento e se adaptarem à nova condição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *