Crescimento das vendas no comércio é sinal de recuperação do setor, aponta CDL Petrópolis

Pesquisa do IBGE mostra tendência de recuperação do varejo, embora os números do ano ainda apontem para uma queda acumulada de 1,8%

As vendas do comércio no país cresceram 5,2%, em julho, de acordo com levantamento do IBGE. Para a Câmara de Dirigentes Lojistas de Petrópolis, apesar da queda anual de 1,8%, o fato do setor ter apresentado crescimento das vendas pelo terceiro mês consecutivo é um bom indicativo de que o comércio está no caminho da recuperação, depois de quedas históricas como a de – 16,6%, em abril, no auge da pandemia da Covid-19.

         Para o presidente da CDL Petrópolis, Luiz Felipe Caetano da Silva e Souza, mesmo não repetindo os aumentos de 13,3% em maio e de 8,5%, em junho, só o fato das vendas continuarem crescendo já é motivo para comemorar.

         – Crescemos 5,2% em julho, menos do que em maio e junho, mas não tivemos queda o que é muito importante, especialmente nesse cenário econômico de queda do PIB, de recessão e de desemprego recorde. Como sempre o comércio resiste, se reinventa e supera crises. Aqui na cidade, lutamos para voltar ao horário normal de funcionamento, o que, acredito, deverá impactar nas vendas do setor. Vamos continuar reivindicando da mesma forma que vamos continuar respeitando as normas de segurança para evitar o contágio e proteger a vida – afirma Luiz Felipe.

         Segundo o IBGE, em julho o setor de hiper e supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo foi o único que se manteve estável com variação zero em relação a junho. Nos demais setores destaque para livros, jornais, revistas e papelaria, com crescimento de 26,1%; tecidos, vestuários e calçados (25,2%); material de escritório, informática e comunicação (11,4%) e artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos, que apresentou crescimento de 7,1%.

         No país 21 das 27 unidades da federação apresentaram crescimento, com destaque para Amapá (34%), Paraíba (19,6%) e Pernambuco (18,9%). Entre as quedas, as maiores estão no Tocantins (-5,6%), Paraná e Mato Grosso com -1,6% cada.

CDL pede à prefeitura para rever horário do comércio

Entidade encaminhou ofício ao prefeito pedindo para que as lojas abram e fechem mais cedo no Centro Histórico

A Câmara de Dirigentes Lojistas de Petrópolis encaminhou ofício à prefeitura pedindo para que o horário de funcionamento do comércio no Centro Histórico, que atualmente é de 11h30 às 19 h, seja modificado com a abertura podendo ser às 10 ou 10h30 e o fechamento às 18h30.

         Segundo o presidente da CDL Petrópolis, Luiz Felipe Caetano da Silva e Souza, os lojistas têm percebido que as ruas do centro estão esvaziando por volta das 18h e com isso não faz sentido manter as lojas abertas e vazias até às 19h.

         – Nós estamos pedindo ao prefeito, que sempre se mostrou disposto ao diálogo, que o horário atual do comércio seja revisto. Para nós é melhor abrir um pouco mais cedo e fechar mais cedo também. Dessa forma, otimizamos melhor o nosso tempo e não ficamos com as lojas vazias depois das 18h  – explica Luiz Felipe.

         No mesmo ofício, a entidade solicita ainda que os técnicos da prefeitura estudem um planejamento para a retomada gradativa do comércio ao seu horário normal. A ideia é estabelecer um calendário, assim como foi feito para a flexibilização no período de isolamento social, com datas específicas para que as lojas voltem a funcionar no seu horário regular, de antes da pandemia.

         A CDL Petrópolis enfatiza ainda que os empresários do comércio de bens e serviços mantém seu compromisso com a preservação da vida adotando todos os protocolos de segurança estabelecidos pelas autoridades de saúde.

Para CDL Petrópolis crescimento das vendas do comércio em junho é uma boa notícia, apesar do desempenho ruim no ano

IBGE divulgou crescimento de 8% nas vendas em junho, mas, por conta da Pandemia o setor registrou o pior semestre dos últimos 4 anos

A Câmara de Dirigentes Lojistas de Petrópolis recebeu com otimismo a notícia de um aumento de 8% nas vendas de junho de 2020, na comparação com o mês de maio o que significa a segunda alta consecutiva do setor depois de enfrentar dias terríveis em março e abril. No entanto, quando se olha para o cenário de todo o ano de 2020 ainda há uma grande preocupação uma vez que o primeiro semestre fechou com uma queda de -3,1%, atrás apenas do segundo semestre de 2016, quando o setor apresentou queda de -5,6%.

         Para o presidente da CDL Petrópolis, Luiz Felipe Caetano da Silva e Souza, apesar dessa retomada de fôlego, os desafios do setor ainda são enormes nesses tempos de pandemia.

         – Era até natural que as vendas crescessem em função de toda a demanda reprimida pelos meses em que o comércio não essencial permaneceu fechado. Houve também o fenômeno do crescimento das vendas on line, mas ainda precisamos trabalhar muito para voltar a crescer de verdade. Para isso é importante que a economia como um todo se recupere, os empregos voltem e, o mais importante, que a Covid-19 seja controlada, que as mortes e contaminações sejam reduzidas e para isso, nós do comércio, temos que fazer a nossa parte e continuar cumprindo as medidas sanitárias como uso de máscaras e álcool em gel, além de evitar as aglomerações, assim como a população em geral também precisa entender que a pandemia ainda não acabou – afirma Luiz Felipe.

         Segundo o empresário, a situação do comércio em Petrópolis, apesar do grande número de empresas que não conseguiram sobreviver, ainda não é de todo ruim porque as lojas continuam abertas e até houve recentemente uma expansão do horário de funcionamento, além do fato de que as barreiras sanitárias puderam ser flexibilizadas para consumidores de outras cidades que venham para a rua Teresa.  

         Os números da pesquisa do IBGE apontam que em janeiro já havia uma queda de -1,1%, em fevereiro uma pequena alta de 0,6%, em março já como reflexo da pandemia uma queda de -2,4%, uma baixa histórica de -17% em abril e uma alta também fora da curva de 14,4% em maio.          Entre os setores que mais se destacaram na pesquisa de junho estão os de livros, jornais, revistas e papelarias com crescimento de 69,1% nas vendas, tecidos, vestuário e calçados (53,2%), móveis e eletrodomésticos (31%) e outros artigos de uso pessoal e doméstico (26,1%).

Crescimento das vendas do comércio em maio é positiva, mas requer cautela aponta CDL Petrópolis

Entidade alerta que os números divulgados apontam retomada, mas a comparação com 2019 mostra que a recuperação total ainda vai demorar

O IBGE divulgou na última quarta-feira, 08 de julho, que as vendas do comércio varejista cresceram 13,9% em maio, na comparação com o mês anterior. Porém, o mesmo levantamento aponta uma queda de 7,2% quando se comparam as vendas de maio de 2020 com o mesmo mês do ano anterior. Para o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Petrópolis, Luiz Felipe Caetano da Silva e Souza, apesar da boa notícia é preciso ter clareza que para o setor ainda há um longo caminho a percorrer, quando se trata de recuperação do nível dos negócios.

         – Eu penso que uma comparação com o mês de abril, quando o setor experimentou o fundo do poço pode causar um excesso de otimismo perigoso. Crescer 13% na comparação com abril é uma boa notícia, sem dúvida, mas quando se compara com maio de 2019 o que se vê é uma queda de 7,2%. Então, ainda temos um caminho difícil a percorrer para nos recuperarmos. Para isso é importante que as empresas cumpram os protocolos de higiene para continuarem abertas, preservando vidas, e que os consumidores recuperem a confiança e prestigiem o comércio da nossa cidade – afirma Luiz Felipe

         A pesquisa do IBGE aponta que apesar do aumento das vendas em maio, o setor não conseguiu se recuperar da forte queda de 19,1% registrada em março (-2,8%) e abril (-16,3%) e no acumulado dos últimos 12 meses a queda no desempenho do varejo foi de 3,9%.

         A CDL Petrópolis lembra ainda que para a recuperação do setor é fundamental a volta dos empregos e a queda constante das infecções e mortes pela Covid-19 para que as lojas possam continuar abertas, além da chegada dos empréstimos a juros baixos aos micro e pequenos empresários, que representam a maior parcela dos empreendedores do varejo petropolitano.

CDL alerta para golpes que prometem retirar devedores do SPC

Golpistas utilizam a internet, especialmente as redes sociais, para ludibriar consumidores inadimplentes

Não existe outra forma de sair do cadastro de inadimplentes do SPC Brasil ou de qualquer outro banco de dados se não for pagando a dívida. O que parece óbvio, muitas vezes não é percebido por consumidores negativados que acabam acreditando em falsas promessas e, além de continuarem devendo, ainda perdem dinheiro para golpistas.

         A Câmara de Dirigentes Lojistas de Petrópolis faz esse alerta, especialmente no atual contexto de pandemia e isolamento social quando as pessoas podem ficar mais suscetíveis a cair nesses golpes, notadamente por conta do uso mais acentuado da Internet, onde essas falsas ofertas são cada vez mais frequentes, inclusive com a disseminação de fake news e, em alguns casos, com o envio de boletos falsos.

         Para o presidente da CDL Petrópolis, Luiz Felipe Caetano da Silva Souza, se o consumidor tem a intenção de regularizar sua dívida o caminho mais simples e correto é buscar uma negociação com a loja credora ou com algum representante indicado pelo credor, como uma empresa de cobrança, por exemplo, ou aproveitando os chamados “feirões limpa nomes”.

         – Nós temos visto com muita preocupação o surgimento cada vez maior de empresas que fazem promessas de limpar o nome sem pagar a dívida e cobram taxas por isso. Nosso alerta à população é para que não se iludam, não caiam em fake news, e consultem sempre fontes idôneas como os sites dos bancos de dados, das CDLs ou diretamente com a empresa credora. Não há como tirar o nome do SPC Brasil sem pagar a dívida. Quem acredita em algo diferente disso, vai acabar descobrindo, no final das contas, que caiu num golpe. Pagou as taxas ou quitou um boleto falso e continua devendo e com o nome no cadastro de inadimplentes – alerta Luiz Felipe.

         A CDL Petrópolis informa ainda que, no contexto das restrições de funcionamento por causa da pandemia, está atendendo de segunda a sexta-feira, das 12 às 18 h, fornecendo as informações aos consumidores na sua sede à rua Irmãos D`Angelo, 48 sobre loja, centro. A informação verbal sobre o SPC Brasil é gratuita e caso o consumidor necessite de uma certidão do SPC ou de informações da Serasa, haverá cobrança de uma pequena taxa. É preciso levar documento original de identidade, não são fornecidas informações para terceiros e, por conta da pandemia, só serão atendidas as pessoas que estiverem usando máscaras de proteção. Além disso, a CDL Petrópolis segue todo o protocolo de distanciamento social para evitar aglomerações.

CDL Petrópolis incentiva o comércio local nas redes sociais

Campanha lançada no Facebook destaca os cuidados para reabertura segura e faz apelo aos petropolitanos em favor das lojas da cidade

Depois de quase 90 dias com a maioria das lojas da cidade fechadas, a preocupação agora, além da adoção de cuidados para evitar o contágio pelo novo Coronavírus, é que o consumidor petropolitano readquira a confiança e volte a comprar no comércio local. Pensando nisso, a CDL Petrópolis acaba de lançar uma campanha com o mote Petrópolis Tem para incentivar o consumo nas empresas da cidade.

         Para o presidente da CDL Petrópolis, Luiz Felipe Caetano da Silva Souza, o momento é de união em prol do desenvolvimento de Petrópolis.

         – Nós, empresários, estamos fazendo a nossa parte adotando todos os cuidados para evitar a contaminação, amargamos dias difíceis de lojas fechadas, lutando para manter renda e empregos e agora que estamos voltando a esse novo normal precisamos muito que o consumidor petropolitano prestigie as empresas da cidade, por isso investimos nessa campanha – explica Luiz Felipe.         

A campanha, criada pela Soma Comunicação, consiste em filmetes com 15 segundos de duração, em média, com apelo direto em favor do consumo nas empresas locais, além de materiais para feed e storys. Está sendo veiculado no Facebook da CDL Petrópolis um vídeo geral abordando o comércio de bens e serviços como um todo e mais 19 filmetes para diferentes setores empresariais.

CDL lembra necessidade de cumprir determinações das autoridades de saúde para reabertura segura do comércio

Com a autorização para reabertura de mais segmentos do comércio de bens e serviços na próxima segunda-feira, entidade alerta para os cuidados necessários a fim de evitar a contaminação pelo Coronavírus

Depois de quase noventa dias fechado a maioria das lojas de Petrópolis está se preparando para reabrir nessa segunda-feira, dia 15 de junho, juntando-se àquelas que já abriram no último dia 1º. Porém, mais importante do que reabrir é se manter aberto definitivamente, é o que afirma o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Petrópolis, Luiz Felipe Caetano da Silva e Souza, e por conta disso ele alerta para a necessidade de cumprir todas as determinações das autoridades de saúde garantindo assim a segurança dos lojistas, seus funcionários e, principalmente dos consumidores.

         – É preciso que os petropolitanos tenham segurança para voltar às lojas e confiança nas medidas que as empresas estão adotando. Os empresários se prepararam para esse momento, cuidando de adquirir máscaras, álcool em gel, demarcar os espaços para evitar aglomerações e certamente vão controlar a entrada de clientes nas lojas. Nós estamos agindo assim não apenas porque preservamos a vida das pessoas acima de tudo, mas porque não queremos um retrocesso que venha a fechar os estabelecimentos novamente – explica Luiz Felipe.

Para que as empresas possam funcionar de forma segura protegendo funcionários, clientes e os próprios empresários do contágio pelo novo Coronavírus é necessário seguir as seguintes recomendações das autoridades de saúde:

Os funcionários e clientes deverão utilizar máscaras de tecido ou descartável (sendo que a descartável deverá ser inutilizada a cada três horas e a de tecido trocada duas vezes por dia) e na entrada do estabelecimento devem estar disponíveis dispensadores de álcool em Gel visivelmente para utilização. O funcionário atenderá um cliente por vez, e cuidará do espaçamento lateral entre os clientes que deverá ser de pelo menos 1,5 m e a cada atendimento deverá higienizar as mãos com água e sabão ou solução alcoólica a 70%.

Deverá ser garantida a circulação de ar externo nos estabelecimentos, mantendo-se janelas e portas abertas, sendo não recomendada a utilização de ar condicionado. Quando houver excesso de clientes, deverá ser feita fila no exterior da loja, observando o espaçamento de 1,5m. Os funcionários dos grupos de risco que não podem operar em teletrabalho devem ser acomodados em ambientes de maior distanciamento social.

Nessa segunda onda poderão voltar a funcionar, a partir do dia 15 de junho, lojas de vestuário e calçados; comércio de móveis, eletrodomésticos e eletrônicos; lojas de informática; relojoarias e joalherias; salões de beleza e barbearia; imobiliárias; agências de turismo; agências de publicidade; escritórios de advocacia e contabilidade; estúdios de pilates, massagens e fisioterapia; além do comércio ambulante devidamente legalizado.

CDL e Sicoob juntas para ajudar empresários na crise da pandemia

Parceria entre entidade lojista e cooperativa de crédito oferece condições diferenciadas em vários produtos para os empresários associados

A Câmara de Dirigentes Lojistas de Petrópolis e a cooperativa de crédito Sicoob Credirochas firmaram uma parceria para beneficiar os empresários associados à CDL Petrópolis no contexto da Pandemia da Covid-19 que trouxe muitas dificuldades financeiras para micro e pequenas empresas que não puderam manter suas atividades normais em função das medidas restritivas adotadas pelas autoridades locais.

         Segundo o presidente da CDL Petrópolis, Luiz Felipe Caetano da Silva e Souza, essa parceria e as condições diferenciadas oferecidas chegam numa boa hora para o empresariado local.

         – É fato que o crédito prometido pelo Governo Federal ainda não chegou na ponta e muitos empresários não podem esperar mais. Mesmo com a perspectiva da reabertura do comércio, será necessário um suporte financeiro para muitas empresas, por isso a CDL foi buscar essa negociação com o Sicoob para que nossos associados possam dispor de condições especiais nesse momento tão difícil – afirma Luiz Felipe.

         O Sicoob é uma cooperativa que atua com todos os produtos de um banco comercial, mas cujos correntistas são também cooperados e, portanto, recebem participação nos seus resultados. A cooperativa está oferecendo condições especiais aos associados da CDL Petrópolis nos empréstimos para capital de giro, crédito pessoal e folha de pagamento, tão necessários nesse momento de crise, mas também oferece tarifas especiais para cobrança, financiamento de veículos, cheque especial e no cartão de crédito, o Sicoob card.

– O Sicoob Credirochas tem crescido muito no estado do Rio de Janeiro. Já estamos presentes em Volta Redonda, Barra Mansa, Barra do Piraí, Resende, Valença, Santo Antônio de Pádua, Teresópolis e, neste ano, iniciamos as atividades em Petrópolis. A cooperativa já oferece taxas abaixo das ofertadas pelo mercado. Porém, com essa parceria, estaremos reduzindo ainda mais nossas taxas, para beneficiar o empresário local, com a qualidade do maior sistema de cooperativas de crédito do país, o Sicoob – confirmou o gerente geral da agência na cidade, José Luiz Vieira Perez Rodriguez.

         Para ter acesso às condições especiais da parceria é preciso comprovar a filiação à CDL Petrópolis. Mais informações pelo telefone da CDL 2244-1900, diretamente na Sicoob Credirochas (2231-2226) ou por e-mail [email protected]

CDL Petrópolis vê com otimismo lei que criou o Pronampe

Lei 13.999/20, publicada no Diário Oficial na última terça-feira, 19/05, prevê liberação de crédito barato para micro e pequenas empresas

“A melhor notícia do dia”. Foi com essa expressão de otimismo que o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Petrópolis, Luiz Felipe Caetano da Silva e Souza, reagiu à sanção da lei que cria o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe) pelo presidente Jair Bolsonaro. Segundo Luiz Felipe, esse socorro, uma das reivindicações da entidade através da Confederação Nacional das CDLs (CNDL),  será fundamental especialmente para as empresas que faturam até 360 mil reais por ano e que estavam com muitas dificuldades para sobreviver em meio à Pandemia.

         – Nesse dia triste em que o país registrou mais de mil pessoas mortas pela Covid 19, pelo menos tivemos essa notícia que traz um certo alívio aos empresários e aos trabalhadores que dependem dessas empresas abertas para continuarem empregados. Esse crédito com juros bem acessíveis vai ajudar muito. Eu espero que, de fato, esses recursos cheguem na ponta, a quem precisa e que a Câmara derrube alguns vetos do presidente como, por exemplo o prazo de carência para começar a pagar, porque com as empresas fechadas é fundamental que o empresário tenha fôlego de alguns meses para se recuperar e honrar esse empréstimo – afirma Luiz Felipe.

         Os empréstimos serão oferecidos por bancos públicos, privados e demais instituições financeiras reguladas pelo Banco Central, como as cooperativas de crédito, por exemplo, com garantia de até 85% da União o que, segundo técnicos do Ministério da Economia, fará com o que o crédito chegue na ponta, uma vez que reduzirá as resistências dos bancos, preocupados com os riscos de inadimplência.    

Segundo a Lei nº 13.999, todos os contratos devem oferecer prazo de até 36 meses para o pagamento e uma taxa de juros máximos equivalente à taxa básica de juros (Selic) acrescida de 1,25%. Como a Selic hoje está em 3% ao ano, os juros do Pronampe devem ser de no máximo 4,25% ao ano.

O empréstimo pode ser de até 30% da receita bruta anual registrada pelas MPEs em 2019. Caso o negócio tenham menos de um ano de funcionamento, contudo, o limite do empréstimo será de até 50% do seu capital social ou até 30% da média de seu faturamento mensal apurado desde o início de suas atividades, no valor que for mais vantajoso para o empresário.

         As Micro e pequenas empresas que contratarem as linhas de crédito no âmbito do Pronampe assumirão contratualmente a obrigação de fornecer informações verídicas e de preservar o quantitativo de empregados em número igual ou superior ao verificado na data da publicação desta Lei, no período compreendido entre a data da contratação da linha de crédito e o 60º (sexagésimo) dia após o recebimento da última parcela da linha de crédito.

Perdas do comércio com a pandemia pedem medidas urgentes de socorro às empresas, defende CDL Petrópolis

Os últimos números negativos divulgados pelo IBGE e pela Secretaria de Fazenda do Estado sinalizam a necessidade de um plano nacional de ajuda às empresas do comércio de bens e serviços

A notícia divulgada no último dia 13 de maio pelo IBGE mostrando que as vendas no comércio caíram 2,5% em março, na comparação com o mesmo período de 2019, a informação da Secretaria de Fazenda do Estado do Rio de Janeiro dando conta da queda de 36% nos valores das vendas informadas nas Notas Fiscais Eletrônicas emitidas entre 1º de março e 25 de abril e uma recente pesquisa da Fecomércio que aponta queda de 50% nas vendas do comércio do estado do Rio de Janeiro mostram não somente os efeitos da pandemia da Covid 19 na economia, mas sinalizam também a necessidade da implementação rápida de medidas de ajuda às empresas.

         Essa é a avalição da Câmara de Dirigentes Lojistas de Petrópolis diante da gravidade tanto do avanço dos contágios e mortes pelo novo Coronavírus, quanto do fechamento de empresas e perda de empregos e renda que acrescenta uma crise econômica mundial à emergência de saúde pública. Para o presidente da CDL Petrópolis, Luiz Felipe Caetano da Silva e Souza, é preciso socorro urgente.

         – É necessário pensar num plano de ajuda às empresas que envolva os governos municipal, estadual e federal. Esse socorro precisa passar pela prorrogação ou suspensão do pagamento de impostos e taxas em todos as esferas, do município ao governo federal, por um determinado período, e, especialmente, pela disponibilização de crédito barato aos micro e pequenos empresários de todo o país, especialmente via BNDES. Um crédito que chegue de verdade na ponta, sem burocracia e que permita ao empresário a segurança necessária quanto à sua capacidade de honrar esses compromissos num cenário de recessão que já se anuncia para o futuro – afirma Luiz Felipe.

         O empresário lembra que os números de queda no comércio e de desemprego no setor são, na verdade, muito maiores do que o divulgado. Os dados do IBGE, por exemplo, ainda não refletem a realidade dos prejuízos da pandemia, porque referem-se a março quando, em pelo menos metade do mês, as lojas permaneceram abertas, além de parte das perdas ter sido compensada pelo desempenho de supermercados e farmácias. Quanto aos números divulgados pela Secretaria de Fazenda do Estado, o empresário destaca que as perdas do varejo foram de impressionantes 41%.

         O presidente da CDL Petrópolis aponta ainda que o comércio da cidade tem contribuído com o esforço do poder público para reduzir o contágio e as mortes da Covid-19, atendendo às medidas restritivas implantadas pela prefeitura, porque está consciente da gravidade da situação, do alto índice de contágio e letalidade provocada pelo vírus, além das dificuldades do sistema de saúde. No entanto, afirma Luiz Felipe, é urgente que as autoridades olhem também para a emergência econômica que afeta diretamente empresários e trabalhadores do comércio local.